Peugeot 405

1987-1997 de lançamento

Reparo e operação do carro



Peugeot 405
+1. Instrução de manutenção
+2. Manutenção
+3. Motores
+4. Sistema de combustível
+5. Sistemas de lubrificação, coolings
+6. Sistema de lançamento
+ 7. União
- 8. Transmissões
   -8.1. Transmissão mecânica
      8.1.1. Característica técnica
      8.1.2. Substituição de óleo na transmissão
      8.1.3. Ajuste de esboço de deslocamento de engrenagem
      8.1.4. Alavanca de deslocamento de engrenagem
      8.1.5. Esboço de deslocamento de engrenagem
      8.1.6. Fio de bloqueio de ligação da engrenagem inversa
      8.1.7. Caça de anéis
      8.1.8. Apoio de comutador de lâmpada
      8.1.9. Speedometer drive
      8.1.10. Remoção e instalação da transmissão
      8.1.11. Desmontagem da transmissão
      8.1.12. Reparo de diferencial
      8.1.13. Reparo de um cabo principal
      8.1.14. Reparo de um cabo secundário
      8.1.15. Reunião da transmissão
      8.1.16. Definição de uma tensão do carregamento cônico de um cabo principal
      8.1.17. Os anéis de caça fortalecidos
      8.1.18. Características distintivas do passeio 4 x 4
      8.1.19. Caso de transferência de sistema do passeio 4 x 4
   +8.2. Câmbio automático
+9. Cabos de poder
+10. Direção
+11. Suportes de forma triangular de interrupção
+12. Sistema de freios
+13. Corpo
+14. Equipamento elétrico


cbc19809

8. Transmissões

8.1. Transmissão mecânica

INFORMAÇÃO GERAL

A transmissão VE coloca-se em um caso da liga de alumínio e anexa-se ao fim esquerdo do motor. Compõe-se da transmissão, a transferência principal e diferencial. A transmissão tem cinco transferências sincronizadas do avanço e uma transferência de um apoio. O caso da transmissão compõe-se as suas três partes feitas lançando abaixo da pressão da liga de alumínio. Em carros dois tipos da transmissão mecânica estabelecem-se. Ambos os tipos da transmissão são semelhantes e trabalham como se segue.

O torque de um cabo de inclinação do motor transmite-se pela união a um cabo principal da transmissão na qual a chapa de aperto se estabelece. O cabo principal estabelece-se em carregamentos de bola. Além disso o torque transfere-se para um cabo secundário que fim direito se estabelece no carregamento de rolo e se deixa – na bola. De um cabo secundário o torque transfere-se para o diferencial e acionar cabos. Na situação neutral o cabo principal e as rodas de engrenagem de um cabo secundário giram livremente e não transferem o torque para o diferencial.

A sincronização de 1 e 2 transferências dá secundário a um cabo e sincronização 3, 4 e 5 transferências – na eleição prévia a um cabo. Usam-se os novos sincronizadores de Processo. Os garfos de ferro do porco têm um molybdenic que cobre em superfícies básicas (os garfos da 5a transferência fazem-se do bronze).

O mecanismo do deslocamento de engrenagem põe-se na ação pela alavanca localizada em um soalho do carro. O mecanismo do deslocamento de engrenagem move o garfo correspondente que move o sincronizador e fornece a conexão rígida de uma roda de engrenagem de um cabo secundário com um cabo secundário.

O diferencial – tipo clássico, tem dois satélites e duas rodas de engrenagem semiaxiais. O caso do diferencial manufatura-se do ferro de forma de spheroidal. Os anéis do escorregamento de satélites fazem-se da poliamida saturada com o bióxido de molibdênio.